Avaliação: Chrono Cross.

É isso ai, o re-post do melhor jogo do mundo (em minha opinião), afinal, ele ganha em todas as categorias, gráficos, sons, e principalmente roteiro e músicas.

O jogo por si só é um dos mais complexos de se entender, é quase impossível você joga-lo de forma igual, pois ele tem muitos detalhes pequenos que chegam a mudar muito no roteiro, como por exemplo os 45 personagens jogáveis, 46 contando com o Lynx, para ler, basta clicar no spoiler:

[spoiler]

Ao todo, Chrono Cross não seguiu o estilo original do Chrono Trigger, sendo lançado oficialmente em  1999, 2 anos após Radical Dreamers, Chrono Cross é tem com certeza o roteiro mais complexo que já vi até agora , e o objetivo principal do jogo(que não é revelado até o  final do jogo) é salvar Schala(irmã de Magus).

Eu encontrei um ótimo resumo na Wikipédia, ele conta o roteiro principal do jogo sem cortar muita coisa:

Com a destruição de Lavos em Chrono Trigger, iniciou-se um futuro diferente onde Lavos e sua influência não existiriam. Porém, nesse futuro "bom", surge FATE, o supercomputador criado por Belthasar, para preservar a linha do tempo. O Objetivo principal de FATE era demasiadamente simples: controlar e até reescrever a história, alterando o tempo e o espaço.  Contudo, havia outros agravantes neste futuro sem Lavos. Schala, irmã de Magus, ao final da batalha contra Lavos no reino de Zeal, acabou tornando-se um ente "atemporal" e fundiu-se com uma parte sobrevivente do mesmo, gerando o ser chamado de "Time Devourer". Schala e Lavos, uma vez unidos na forma de Time Devourer, passaram a habitar um espaço dimensional que ameaçava romper e destruir a linha do tempo. Schala para tentar impedir esse acontecimento conseguiu clonar a si própria e enviou sua "filha-clone" ao mundo em sua dimensão normal para buscar ajuda. FATE, ao saber deste ameaça para a linha do tempo, tentou destruir o Time Devourer por si mesmo, encontrando a Frozen Flame, que na verdade era um pedaço do corpo do Lavos morto na dimensão original, contendo um poder imensurável dentro dele. Ele utilizou-o para chegar até Schala no acontecimento em 2400 A.C. mas alguma coisa deu errado por causa do Time Crash. Isso acabou por lançar a cidade onde FATE vivia, Chronopolis, para algum lugar no espaço-tempo, ou seja, cerca de 10.000 anos no passado. Esse fato permitiu que Lavos, ainda vivo na dimensão original, corrompesse FATE e Chronopolis por completo, alterando a realidade, o tempo e o espaço, contudo a única coisa que não foi corrompida foi o "Selo de Prometheus." Presume-se que Chronopolis criou o continente de El Nido 10 mil anos atrás, após esse evento catastrófico, que lançou o continente no passado. A Introdução de uma direção estranha na história, fez que com que o planeta sofresse um contrabalanço de uma nova DIMENSÃO ALTERNATIVA. Ao mesmo tempo, outra cidade do Futuro de uma dimensão paralela foi jogada no passado também. Dinópolis, a cidade futura dos Reptites — descendentes de Azala, que evoluíram com mais harmonia com o mundo em sua dimensão. Dinopolis tentava se sobrepor à realidade atual, o que culminou em uma guerra entre Chronopolis e Dinopolis. Chronopolis acabou por vencê-los, subjugando-os e capturando-os bem como a sua máxima criação: O Dragon God, uma entidade capaz de controlar a natureza. Eles então dividiram essa entidade em 6 pedaços e criaram o sistema dos Elements (utilizado para combate no jogo). Quando o Time Crash ocorreu um barco navegava pelo Sea of Eden. Naquele barco estava Serge, um menino do mundo original à beira da morte, pois tinha sido atacado por uma pantera negra demônio. Seu pai já tinha tentado de tudo, desde os médicos em Arni, Termina e Gulldove, e nenhum tinha a cura. Procurando por sua última esperança ele saiu velejando com Miguel, pai de Leena, para a ilha de Marbule, para procurar ajuda do sábio daquela região. Contudo no meio do caminho foi pego por uma tempestade que o arrastou para Chronópolis. Schala sentiu a agonia de Serge e tentou salvá-lo, alterando a história e o tempo, algo que o computador FATE não deveria permitir. Todavia, devido à tempestade houve uma pane nos sistemas e Schala se aproveitou disso para, além de salvar Serge, implantar no DNA dele um código que permitiria sua entrada no laboratório de Chronopolis, o local da experiência com o Frozen Flame, protegido por um programa de Defesa quase invulnerável chamado Prometheus. Esse contato serviu como cura para Serge. Ao tocar na Frozen Flame, Serge se tornou o se "Árbitro" devido a um sistema de defesa existente em Chronopolis, que preveniria que FATE não tentasse usar o artefato. FATE, portanto, possuía uma subprogramação feita para fazer com que ele entrasse em pane em caso de ser usado de má forma. Esse programa estava bem escondido, quase indetectável. Era um sistema de defesa inserido por Lucca e Belthasar, respondendo pelo nome de Prometeus, OU SEJA, esse programa era na verdade a mémoria de "Robô" de Chrono Trigger. Juntamente com esses fatos os Dragões de Dinopolis aproveitaram esta brecha para criar o 7º dragão, Harle, longe da influencia de FATE. Esta por sua vez acabou manipulando-o e fingiu ser sua parceira ao acompanhar Lynx em sua jornada. Serge depois destes eventos foi mandado de volta ao seu tempo, junto do Frozen Flame. FATE, contudo, não desistiu de seus planos e tomou o corpo do pai de Serge assumindo sua forma e tornando-se Lynx, e consequentemente foi atrás de seu objetivo. As consequências para esses eventos foram trágicas, pois FATE destruiu o reino de Guardia, possivelmente matou Crono, Marle e Lucca e roubou a espada Masamune em sua busca por Serge e pelo Frozen Flame.(Em chrono trigger em um dos finais do jogo mostra-se uma cena onde alguém assassina o rei de Guardia e domina o reino. Observa-se que essa "pessoa" roubou a masume em 1005 A.D) No jogo, a filha-clone de Schala, Kid, seria na verdade um bebê achado e levado por Lucca, que a criou como mãe. Lynx, ao destruir a casa de Lucca pelas chamas e provavelmente matá-la, fez com que Kid se tornasse sua inimiga mortal. No meio destes acontecimentos, Lynx consegue trocar de corpo com Serge com o objetivo de enganar o Selo de Prometheus, se fazendo passar por Serge copiando o gene do árbitro da Frozen Flame (Serge) para transferir o controle total para FATE. Agora Lynx detectou o programa Phometheus e ganhou acesso à Frozen Flame, o que lhe deu poderes para apaga-lo. Antes de ser deletado, "robô" ainda implora para que Serge acabe com a inimizade entre FATE e os Dragões, pelo bem da humanidade. Restava agora a única coisa que ainda faltava para FATE: Destruir o verdadeiro Serge para assegurar que ele não tentaria tomar o controle da Frozen Flame. Lynx então se transforma no supercomputador FATE e desafia Serge para uma terrível batalha, esperando apaga-lo completamente da história. Quando Serge derrota FATE, os dragões que estavam presos roubam a Frozen Flame, dando origem a Terra Tower. Serge, então, vai até ao topo da Terra Tower e Derrota o Dragon God. Depois, ao chegar em Opassa Beach, onde iniciou-se a separação das dimensões, Serge encontra os espíritos de Crono, Marle e Lucca. Eles explicam que tudo que foi realizado até agora foi um grande plano arquitetado por Belthasar, para salvar Schala do fluxo do tempo. O Time Devourer estava consumindo e destruindo todo o espaço-tempo. Serge deve, portanto usar o Chrono Cross para libertar Schala. Serge usa o Time Egg para ir até o Darkness Beyond Time e efetivamente derrotar o Time Devourer. Ao derrotar o Time Devorer, Schala se liberta de Lavos e se junta ao seu “eu”
mais jovem, Kid. O fluxo do tempo é plenamente corrigido. Serge, então, volta para seu Home World sem lembranças de nada do que acontecera. As duas dimensões finalmente tornam-se apenas uma.

Ela, então, aparentemente, escreve os acontecimentos em seu diário, colocado sobre uma mesa em que uma foto do casamento de Kid e Serge aparece. As cenas durante os créditos retratam, em seguida, um miúdo da vida real em busca de alguém em uma cidade moderna, com a intenção de fazer os jogadores rogar a possibilidade de que sua própria filha está à procura deles. O fim deixa um acontecimento ambíguo da vida dos personagens após o jogo, até que uma continuação seja lançada.

O jogo em si possui as melhores músicas da época, que continuam consagradas no top 10 de melhores game music’s, os gráficos foram todos desenhados à mão, personagens bem poligonados, e ótimas texturas por toda parte, o jogo também conta com uma grande variedade de efeitos sonoros,  e a batalha do jogo conta com ambiente 100% 3D, a batalha por si só é única, não existe igual em lugar nenhum, parece até que é em tempo real, a única coisa que o jogo deixa mesmo a desejar é o motivo pelo qual os personagens entram no grupo.

Mais imagens: [spoiler]

[/spoiler]

Chrono Cross rendeu 850,000 cópias nos EUA e 650,000 no Japão, sem contar as várias cópias piratas. Já foi relançado no Japão e agora ele já é encontrado no Playstation Network.

[/spoiler]

Anúncios
  • Trackback are closed
  • Comentários (0)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: